Retalhos

"Posso não concordar com uma só palavra que disseres, mas defendo até a morte o teu direito de dizê-las". Voltaire.

terça-feira, dezembro 12, 2006

O que para uns é trabalho, para outros é despedimento.

A noticia não de Portugal, mas sim de um pais irmão, o Brasil. Segundo a Justiça do Trabalho Brasileiro, um trabalhador que aceda a sites pornográficos ou deixar de trabalhar para navegar na Internet pode originar despedimento por justa causa. Um trabalhador moveu uma acção contra a sua antiga entidade patronal com vista a anular o despedimento com justa causa por parte da empresa, contudo o juiz decidiu que a demissão era possível. Ao que parece o trabalhador já era recorrente neste tipo de comportamento, tendo sido advertido seis vezes e alvo de quatro suspensões disciplinares, mesmo sabendo que violava o regulamento interno da empresa. Isto leva-me a pensar que se calhar em Portugal, o desemprego iria disparar em flecha em alguns sectores, vocês sabem bem quais…

1 Comments:

Blogger RochaBrito said...

Em Portugal já aconteceu. O ex-director de recursos humanso do Euro 2004 foi despedido por ver sites pronográficos. Mas por outro lado, o director de recursos humanos da Volkswagen, um estrangeiro qualquer, tinha no seu contrato a cedência de putas para irem lá a casa.
Estranha nação, certamente.

11:03 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home